Amor: embarque e desembarque

safe_image_large.php
Acredito que homens são como trens e relacionamentos são estações. Quando você começa um relacionamento embarca em uma estação e nela entra em um trem. No primeiro vagão que fica bem próximo ao coração.
Durante essa “viagem” muitas coisas acontecem: pessoas entram e por vezes você é obrigada a passar para outro vagão por estar incomodada, apertada e mesmo é expulsa do seu lugar. Passa para um vagão atrás.
Ocorre que em alguns casos, pula de vagão em vagão até chegar no ultimo e aqui é preciso fazer uma escolha: ou pula fora desse trem ou se joga nos trilhos presa a ele. Difícil? Vamos analisar.
Se pula, sai desse trem e para em uma estação nova, desconhecida. Raramente se tem a sorte de cair onde entrou. E o desconhecido dá medo. Mas ainda sim você deve continuar suas escolhas:ou aproveita que esta em um lugar novo e sai um pouco para ver o mundo ou já embarca em outro trem. Por vezes salta com filhos e opta por tirar as crianças dali. Família e amigos podem estar te esperando lá fora. Claro que os pequenos vão entrar ocasionalmente para ver o antigo trem e você tem que enfrentar isso. Nada é como antes, mas sabem? Está melhor assim! Você já havia esquecido que existe um mundo lindo fora do buraco!
Já quem opta por embarcar em outro trem geralmente tem muito medo de sair sozinha. Dar trabalho, incomodar. Família não está lá e enfrentar um mundo diferente sozinha é complicado, se está com crianças fica mais ainda. Então entra logo no trem seguinte e nada como tentar de novo. Quem sabe dessa vez dá certo?
E aquelas que decidiram não largar o trem? Algumas acreditam que não foi culpa do homem, digo motorista. São as pessoas que entraram… Olha, quem abriu a porta foi ele tá? Bem, mas definitivamente sair do trem NÃO! “eu embarquei nele, eu não vou sair. Ele vai desocupar logo meu lugar, pode confiar! eu sou sábia! eu não vou abandonar MEU trem!” ok, ok, ok. Não é difícil de imaginar sua dor: imagina uma mulher que se joga arrastada para fora de um trem. Machuca muito. E quanto mais rápido o trem, maior é a ferida. Não vou julgar quem faz essa escolha porque cada um sabe sua dor e o mundo que existe fora da estação. Mas dói. Se tranquiliza: Você não é a unica e nem a ultima. Muitas mulheres optam por isso, contudo é uma cena triste para quem esta embarcando em outras estações. Só resta a certeza de não querer o mesmo.
Assim, há quem pule fora antes de chegar no final, há quem não desista do trem, há quem chegue no meio e consiga voltar para seu lugar. Independente disso minha analise é que existem muitos trens para uma passageira só. Então escolha o seu e boa sorte, mas se precisar sair: pode contar comigo!
Vivian Fernanda
psicanalista que fica do lado de fora.