Como seria a Amélia hoje?

amelia

Como seria a Amélia de hoje em dia? Estava eu com minhas purpurinas, analisando a digníssima letra de Ataulfo Alves e Mário Lago, quando me veio essa pergunta. Pois bem, depois de muito pensar minuciosamente em cada frase, creio que não há musica mais atual para descrever as bandoleiras e as mulheres que amam de verdade. Essas ultimas alias, são atemporais. Vejamos:

“Nunca vi fazer tanta exigência Nem fazer o que você me faz”
No inicio da música já temos uma idéia do quão chata é a dita. A mulher só reclama, só cobra, não deve saber nem como segura um taco de sinuca, nem quantos jogadores tem num time de futebol. Deve ser daquela que mantem o homem numa coleira. O pobrezinho não pode nem sair com os amigos, que a mulher inferniza ligando a cada 5 minutos pra ele não esquecer de trazer sorvete de menta pra ela. Em suma: ele já reconhece que ela não presta.

” Você não sabe o que é consciência Nem vê que eu sou um pobre rapaz”
No momento seguinte ele joga na cara dela que ela é egoísta, insensível e má! Ela não reconhece a humildade do coitadinho. É uma materialista, uma arrogante, que pisa nele (xinga ele, manda ele embora). Vejamos: há uma enorme diferença entre pobre rapaz e rapaz pobre! Na musica, dar-se a entender que ele é uma criatura boa e não duro! Mais um motivo pra ela ser comparada à uma biscate sem jesus no coração!

” Você só pensa em luxo e riqueza Tudo o que você vê, você quer”
Aí, veja!! Olha o que eu falei!!! Ele diz claramente que ela é uma kenga!!! Não deve se preocupar se ele TEM que almoçar com os amigos no Porcão toda sexta. Ela só pensa no sushi de sábado a noite! Não importa que ele esteja guardando cada centavo pra trocar o carro pelo ultimo modelo com bancos de couro e som MP3. Ela quer porque quer o anel da nova coleção da H.Stern como aliança de compromisso! Ela quer sapato da moda, tênis da moda, bolsa da moda, e o santo homem é intimado a satisfazer os gostos da amada. Não importa se ele não trouxe o cartão de crédito pra ir naquele restaurante badaladíssimo. A biscate se recusa a comer um cachorro quente depois do cinema. Ou seja: ela é uma piriguete!

” Ai, meu Deus, que saudade da Amélia Aquilo sim é que era mulher”
è triste… mas o homem só dá valor depois que perde. Agora, é uma tal de Amélia pra cá, Amélia pra lá… A rapariga mostrou as garras, e ele inevitavelmente comparou a santa que ele tinha com a safada que ele arrumou! Toma!!!! Senta e chora.

“Às vezes passava fome ao meu lado E achava bonito não ter o que comer Quando me via contrariado Dizia: “Meu filho, o que se há de fazer!”
Veja bem, nesse refrão Amélia se saiu muito bem! Porque Amélia era tudo, menos gorda! E logicamente, ela usava de uma situação drástica para fazer seu filme. Amélia, como toda mulher, vivia de regime. Mas é óbvio que não podia perder uma oportunidade e demonstrar seu altruísmo. Além de magra, ela era gente boa.

Amélia não tinha a menor vaidade Amélia é que era mulher de verdade”
Agora???? Pois é… Na hora de deixar a bichinha da Amélia, o mané não pensou, e agora se arrepende? Só porque a outra é mais ruim que o cabelo do Bob Marley? Amélinha querida, deixa eu dormir na sua casa hoje??? Mas, olha só… E a conta do terapeuta, do salão, da farmácia e de tudo mais que ela gastou depois que levou um chute? Olha meu querido pega a van pra APA por favor (e não esquece de pagar as contas)!