Quando a gente gosta é claro que a gente cuida

sonho-04 (1)
Acredito que não exista profissão mais frustrante do que psicanalista. E para alguém que sempre teve dificuldade de lidar com frustrações, eu estou sendo vencida pela experiência ou pelo cansaço se preferir chamar assim.
Quando um paciente se desliga, seja porque acha que já está bem ou seja por não estar satisfeito com o tratamento, confesso que me sinto ora meio fracassada ora meio revoltada. Não necessariamente nesta ordem. Mas depois procuro os motivos para tal e encontro nas palavras do próprio criador da psicanálise: existem pessoas que não são analisáveis. Ufa, Freud explica!
Se bem que acredito ser sim, pois eu deveria ter notado na primeira entrevista (sessão) que não poderia levar aquela pessoa adiante. Passa-la à outro psicanalista ou dizer-lhe que é melhor procurar outro tipo de tratamento com psicólogos seria mais bonito para não dizer mais humilde da minha parte.
As vezes escuto meus colegas conversando sobre o tempo de atendimento e me pergunto: será que este é meu erro? Atender por no minimo duas horas (ou quanto tempo o paciente dispor). Se eu atendesse os corretos 50 minutos? (Sem falar que nem recibo para reembolso de convênios ou imposto de renda posso dar.)
Outra coisa: cobrar do paciente. Eu tenho uma grande dificuldade. Se para os grandes psicanalistas é complicado imagina pra mim que estou sempre dando descontos e fazendo pacotes mensais para o valor ser menor? Minhas pacientes sabem que eu faço o impossível para que não larguem o tratamento por causa de dinheiro. As vezes cobro só o que tenho com a despesa e não lucro nada. E sabendo disso, não largam mesmo. Pois uma vez que desiste, eu infelizmente tenho que dar a vaga à outra pessoa.
Eita que aqui eu me lasco de novo: tem um monte de colegas que “não tem horário”, estão com agenda lotada, etc… Posso ter vontade de ser assim? Mais uma vez não sei se é pelo tempo de consulta, se é por aceitarem convênios ou porque são bons mesmo! Infelizmente eu não posso me dar ao luxo de ter 15, 20 pacientes por mês.
Cada paciente exige muito mais do que duas horas por semana. São casos, histórias de vida diferentes, estudo, leituras, pesquisas… Eu não lembro o numero do meu celular, mas o nome do marido, filhos, mãe, cachorro, desafeto das pacientes eu sei de cor! Cada uma precisa ser cuidada! No minimo duas vezes por semana mando mensagem pra saber como estão minhas pacientes. As vezes recebo, acordo ou paro de dirigir para ler um wa. Elas já até sabem a importância de me enviar um sonho que tiveram de madrugada! Sonhos são muito importantes para analise. O mais bonitinho é quando elas tentam interpretar… não é bem aquilo, mas valeu a tentativa!
Desejos, libido, sonhos, inconsciente, transferência, depressão, pulsões, recalque, rejeição, prazer, sofrimento, sintomas, chiste, subjetividade, traumas, personagens, musicas, infância, etc. O fantástico mundo da psicanálise está em um lugar indefinido por Freud. Não é psicologia e nem medicina. É um livro ainda sendo escrito. Sem muitas regras e varias interpretações. Tudo depende do analista e do analisando. Tudo depende da demanda do amor. Tudo depende da vontade de escutar a verdade e encarar seus medos. Tudo depende de gostar e cuidar pra dar certo!
Vivian Fernanda
Psicanalista dando voz ao seu Id, Ego e Superego.