Relacionamentos: aceitar, evitar ou mitigar o fim.

fim-de-namoro

As vezes a decisão mais difícil é a mais correta. As vezes deixamos que os outros decidam para aceitar, evitar ou mitigar as mudanças. As vezes dói ter que reconhecer o fim do jogo. E como dói.

Uma psicanalista deve saber bem de todas as decisões e quando chega a hora do definitivo ponto final.
Mas até Nietzsche chorou. Freud, Lacan e Jung não tiveram suas vidas amorosas como exemplo. E é bem compreensível, afinal é mais complicado amar do que pensar.

Terminar um relacionamento demanda mais coragem do que começar um. E quando terminam por você a melhor forma de amenizar esse turbilhão de sentimentos pode ser abrir os olhos. Pra que insistir quando não existe mais a alegria, paz, amizade, cumplicidade, paciência, indulgencia, e respeito?

Não adianta querer manter algo que não existe mais. deixe que a aceitação tome conta. busque seu equilíbrio. Sofra, chore, mas não perca a … oportunidade de tentar seguir em frente. E não olhe pra trás.

Muita gente me procura por desencontros, por achar que está perdendo. Não me arrependo de ter transformado sua perda em ganho. Ou pode chamar isso de cura. O mais importante é fazer com que entendam: Há de encontrar quem te ame como você é. Talvez re-encontre. E então lembre: toda dor um dia chega ao fim!

Vivian Fernanda
Psicanalista