Uma desculpa para uma culpa

72206_PapeldeParedeCachorroComUmaFlor_1152x864

As vezes queremos esconder de nós mesmos certas coisas que fazemos como uma negação dos nossos erros. E isso se torna mais intenso quando se trata das pessoas as quais mais amamos. Então existem dois caminhos: as pessoas tentam encontrar uma maneira (grandiosa de preferencia) de consertar o que fez e outras justificar a si mesma seu lapso buscando várias vezes culpar os outros. E não sentem um pingo de remorso quando conseguem porque acreditam na própria mentira.

As pessoas com quem você falhou são lembranças do seu erro e a não ser que você modifique si mesmo e não apenas sua atitudes não ira mudar nunca! A partir do momento que você busca seus erros e tenta se tornar uma pessoa melhor tem que ter a consciência de tudo que irá mudar. Você muda por inteiro, não apenas uma atitude, muda sua maneira de pensar, muda seu “eu”! Costumo dizer para minhas pacientes: o pensamento gera o sentimento que gera o comportamento. Não necessariamente nessa ordem.

Agora vem a pior parte: você não muda em uma noite de sono. Sinto muito em te dizer isso! É um condicionamento, um exercício diário. Contudo acreditem em mim: vale a pena. Quando você enxergar que esses meses de mudança foram efêmeros diante da vida que vivia.

“P@#&*, eu nasci assim, sempre fui assim e vou mudar agora para agradar os outros?” NÃO, POÇO DE GENTILEZA! VOCÊ VAI MUDAR POR SI MESMA. Porque as pessoas te amam do jeito que tu és mas sofrem com seus defeitos. E se as ama também imagino que não quer magoa-las.

Quer ganhar mais dinheiro, ter um trabalho melhor, ter amigos, ver a família feliz mas e sua consciência? O que deseja? No fim da vida colecionar os bens ou os momentos felizes? Lembrar das dores para chegar onde está ou dos sorrisos que proporcionou? Pensar no que perdeu ou em tudo que fez por quem amou? A escolha é sua. As consequências também.

Vivian Fernanda
Psicanálista em constante modificação.