Você sabe fazer feijão?

Sabem, eu acho bem legal aquelas histórias de pessoas que vieram do nada e hoje estão no topo. tem gente que passou fome, que vendeu galinha, que mal tinha onde morar, que batalharam muito e chegaram onde estão: para nos dar o exemplo. Tem aqueles que enfrentaram as palavras: impossível, nunca, quando… tem aquelas que superaram tragédias. enfim: tem todo tipo de gente pra jogar na cara da sociedade que estão muito melhores do que quem um dia não acreditou neles.

Eu acho o máximo. Acreditem, quem me conhece sabe que eu choro litros com essas histórias de vida. Afinal o ser-humano me fascina mesmo quando não são humanos. Só que essas mentes brilhantes não sabem que sempre tem “um mas pra tirar a nossa paz”. do tipo: te perguntei? legal mesmo é quando nós vamos a traz (ou atras?) lemos por interesse e não recebemos o mesmo estimulo quando ele é uma lição de moral.

fidi me responda: que moral você tem para cobrar que outros sigam seu exemplo de dignidade da pessoa humana? tá, porque eu detesto quem fala algo quando eu não perguntei ou demonstrei interesse. só se eu queria aprender algo que não sabia ou poderia estar errada (com meu entendimento sobre o assunto).

Há um ano eu escutava: e ai? como você esta? precisa de algo que eu possa ajudar? ta dando pra segurar a barra? ta cuidando da saúde? ta tomando água e dando descarga quando faz xixi? não esquece de lavar a mão porque você pode ficar doente! Como eu não vim nesta vida apenas para repartir meu sorriso com os outros, este ano (e na mesma época) uma onda me deu um “caldo” e quase me afoguei DI NOVO! Só que a pergunta mudou. e também é unica, tá? uma só pergunta e todos para faze-la: O QUE VOCÊ VAI FAZER?

Quase sempre eu tenho que ter uma boa resposta na ponta da língua ou a continuação da mesma pergunta é idem: começa com a palavra “filho” e termina com “sozinha”. se um animal capaz de falar ou escrever soubesse o machucado que esta pergunta faz… mesmo assim continuaria perguntando porque todo castigo pra corna é pouco! E outra: também to cansada com frases clichês para postar como indireta. sempre fiz o estilo: não pedi sua opinião e foda-se (se quiser eu reforço o foda-se). Você vai fazer o que? … Primeiro mentalmente desejar não falar contigo por um bom tempo. Desde que eu ganhei o grupo no face, costumo desabafar lá (é a enésima vez que eu escrevo isso).

Dessa vez a porra é tão séria que eu não falei nadinha pra eles. o Cafofo nem imagina o que aconteceu. mas quem sabe, não satisfeito com a pergunta do cão ainda complementam com: esta colhendo o que você plantou! armária! que porra de colheita é essa que só sai sofrimento. eu num plantei choro nao! mas sei que reguei com ele. em suma: todas as atitudes que você pensar tenha certeza: eu cogitei! eu ia falar da parte do esporro: você é tão inteligente bla bla bla mimimi! mas eu devolvo na lata: tu sabe fazer feijão?

Se tu sabe então não diga que eu sei mais do que você, porque eu não sei fazer feijão! e se você não sabe: quando aprender me ensina! vejam se me entendem: diga ai todas as doenças que vieram a sua cabeça! tirando aids, sífilis, e bulimia, tenho todas! eu nem penso mais em suicídio porque eu to piorando tao rápido que já to achando demorado! mai o sorriso continua né? porque posso não ter vindo com essa missão, mas também não vim pra dividir minhas dores. (e mesmo se tentasse as pessoas só fariam que ela aumentasse) #prontofalei e não esqueçam de curtir e assinar meus dois canais do youtube (tem surpresa vindo do brancadeneve.diva) e continuem no velho e pagador de gorilas: Fefeia! um xero e NESTE MOMENTO VOU FAZER PIZZA!

Tagged on: